Hallowed Ground

Cemitério
do campo

O Campo Santo

A Fraternidade Descendência Americana é responsável pelo Cemitério do Campo desde 1954

O Cel. Asa Thompson Oliver comprou uma fazenda nas terras do município de Santa Bárbara até a mata que se estendia no local. Após sua chegada, sua esposa Beatrice Oliver falece exaurida pela viagem e pela guerra em 13 de julho de 1868.

Seguindo um costume sulista o Cel. Oliver enterra sua esposa em suas terras, cercando o local para que os animais não pisoteassem o túmulo. Pouco tempo depois falecem suas duas filhas Inglianna e Mildredd Oliver vítimas da tuberculose, que são enterradas ao lado de sua mãe.

Na época em que os primeiros imigrantes chegaram no Brasil (época do império), não havia separação entre estado e igreja. Os cemitérios da época pertenciam à igreja católica, e não à municipalidade como hoje em dia.

Cemitério do Campo
Cemitério do Campo

Neste período, morre o pequenino Henry Bankston perto de Santa Bárbara, e sua família queria enterrá-lo no pequeno cemitério da vila. Porém, não obtiveram permissão da igreja, pois a criança não era batizada. 

Sem opção, a medida que outros morriam, suas famílias pediram para que o Cel. Oliver permitisse que seus mortos fossem enterrados em suas terras, ao lado de sua família. 

O Cel. Oliver então destinou 1 hectare de suas terras para o sepultamento da comunidade confederada.

O acordo de se preservar o cemitério foi cumprido a risca por gerações da família Bookwalter, até que em 1954 foi fundada a Fraternidade Descendência Americana, para qual foi doado o cemitério.

Loved Ones

Rest in Jesus